Recurso 1LOGOTIPOpb - Copia.png

HEMATOLOGIA

O que é a Hematologia?

Hematologia é o campo da Medicina que estuda as doenças relacionadas às células do sangue e aos órgãos dos sistemas linfático e hematopoiético, especialmente os linfonodos (gânglios linfáticos), baço e medula óssea. O Hematologista, portanto, é o médico responsável pelo diagnóstico e tratamento das enfermidades hematológicas, quais podem levar a aumento ou redução das contagens celulares analisadas pelo Hemograma, a alterações das funções desempenhadas pelas células sanguíneas e à proliferação das células linfoides nos linfonodos ou outros órgãos, mesmo sem alteração do Hemograma.

Doenças Hematológicas 

Cursam geralmente com alterações no Hemograma, aumento dos gânglios linfáticos, infiltração de outros órgãos, tromboses e sangramentos. 

Podem também decorrer de alterações de certas proteínas ou nutrientes, seja deficiência ou sobrecarga de ferro ou deficiências de vitamina B12 e ácido fólico, por exemplo.

O Hematologista atua também na investigação e terapia dos distúrbios associados ao sistema de coagulação, que podem evoluir com tromboses ou sangramentos, e das doenças secundárias à alteração de certas proteínas ou nutrientes, como Imunoglobulinas, proteínas amiloides, ferro, vitamina B12 e ácido fólico.

Doenças e Tratamentos

  • Anemias: Megaloblásticas (Deficiências de Vitamina B12 e Ácido Fólico), Hemolíticas (Autoimune, Microangiopática, defeitos da membrana eritrocitária, deficiências enzimáticas);
     

  • Anemia Aplástica;
     

  • Aplasia Pura de Série Vermelha; 
     

  • Citopenias: neutropenias e plaquetopenias de outras etiologias;
     

  • Distúrbios hemorrágicos;
     

  • Distúrbios do metabolismo do ferro: Anemia Ferropriva, Hemocromatose Hereditária, Sobrecarga de Ferro secundária, Hiperferritinemia de outras etiologias;
     

  • Doença de Castleman; 
     

  • Doença de Hodgkin;
     

  • Hemoglobinopatias (Anemia Falciforme, Talassemias e outras);
     

  • Hemoglobinúria Paroxística Noturna;  
     

  • Leucemias Agudas (Mieloides e Linfoblásticas);
     

  • Leucemia de Células Pilosas;
     

  • Leucemia Large Granular;
     

  • Leucemia Linfoide Crônica/ Linfoma Linfocítico de Pequenas Células;

  • Leucemia Mieloide Crônica; 
     

  • Linfomas não-Hodgkin de Células B (Difuso de Grandes Células B, Double/ Triple-Hit, Primário do Mediastino, Primário do Sistema Nervoso Central, Folicular, Manto, Burkitt, Zona Marginal Nodal, MALT e outros);
     

  • Linfomas não-Hodgkin de Células T (Anaplásico de Grandes Células, Periféricas, Angioimunoblástico, ATLL e outros);
     

  • Macroglobulinemia de Waldenström/ Linfoma Linfoplasmacítico;
     

  • Mieloma Múltiplo, Plasmocitoma, Amiloidose AL, POEMS, Gamopatias Monoclonais de Significado Indeterminado e outras Neoplasias Plasmocitárias; 
     

  • Pancitopenia;
     

  • Púrpura Trombocitopênica Imune (PTI)/ Trombocitopenia Imune;
     

  • Síndromes Mielodisplásicas;
     

  • Síndromes Mieloproliferativas (Policitemia Vera, Trombocitemia Essencial, Mielofibrose Primária e outras);
     

  • Trombofilias (Fator V de Leiden, Mutação da Protrombina, Deficiências de Proteína C, Proteína S e Antitrombina; Síndrome do Anticorpo Antifosfolípide e outras); 
     

  • Trombose Venosa Profunda/ Tromboembolismo Pulmonar.

Atendimento hematológico 

Os pacientes são encaminhados ao Hematologista geralmente quando apresentam: alterações no Hemograma; aumento dos gânglios linfáticos ou do baço; tromboses, sangramentos e manchas roxas na pele; deficiências de ferro, vitamina B12 e ácido fólico; ferritina elevada; proteínas monoclonais; entre outras alterações.

Quando procurar um Hematologista?

Frequentemente os pacientes são encaminhados ao Hematologista por médicos de outras especialidades, diante de sinais clínicos e alterações em exames que conduzam à suspeita de doenças hematológicas:

  • distúrbios das células sanguíneas (Hemograma com redução ou aumento da quantidade dos elementos sanguíneos, ou então modificação da morfologia das células)

 

  • aumento persistente de linfonodos ou do baço
     

  • fraturas patológicas e lesões ósseas, não atribuídas à Osteoporose ou a traumas de alta intensidade
     

  • tromboses e sangramentos de causas desconhecidas
     

  • abortamentos de repetição ou perdas fetais, após descartadas causas obstétricas e genéticas primárias
     

  • evidência de destruição dos glóbulos vermelhos (hemólise)
     

  • deficiências de ferro, vitamina B12 e/ou ácido fólico
     

  • ferritina elevada
     

  • Síndrome Consumptiva (perda de peso importante, suor noturno expressivo, febre)
     

  • investigação de quadros prolongados de febre, sem causas infecciosas, reumatológicas ou de outras etiologias inflamatórias definidas.

 

No entanto, há alguns sintomas que podem fazer com que o próprio paciente procure diretamente um Hematologista:

  • aumento persistente ou progressivo dos gânglios linfáticos, conhecidos popularmente como “ínguas”
     

  • perda de peso intensa e sem causa aparente
     

  • febre prolongada, sem diagnóstico definitivo
     

  • suor intenso à noite, com necessidade de troca da roupa de cama e da vestimenta
     

  • coceira (prurido) difusa, sem melhora com tratamento padrão e/ou de causa desconhecida
     

  • sangramento de mucosas, como hemorragia em gengivas e nariz ou sangramento nas fezes
     

  • manchas arroxeadas na pele (equimoses), não-traumáticas ou decorrentes de traumas leves
     

  • tromboses
     

  • perdas gestacionais repetitivas
     

  • anemia “crônica”, sem melhora com tratamento instituído por Clínico Geral ou de causa desconhecida
     

  • fraturas ósseas não decorrentes de traumas intensos
     

  • acompanhamento das reposições de ferro e Vitamina B12 em pacientes após Cirurgias Bariátricas ou que possuam doenças que cursem com deficiência de absorção de nutrientes.

O acompanhamento de um Hematologista é essencial nas situações exemplificadas acima, uma vez que é necessário realizar diagnóstico definitivo da patologia de base, confirmando-se doenças primariamente hematológicas; ou então as descartar, formulando-se a suspeita de outras enfermidades, com encaminhamento posterior à especialidade apropriada. O Hematologista é o médico responsável pela avaliação clínica inicial, pela produção das hipóteses, pela solicitação e análise dos exames, pela realização de procedimentos diagnósticos invasivos, como coletas de Mielograma, Biópsia de Medula Óssea e exames associados (Imunofenotipagem, Cariótipo Convencional, FISH, Biologia Molecular e outros) e pelo tratamento direcionado, se confirmado distúrbio primariamente hematológico.

Hematologista

É o médico responsável pelo diagnóstico da doença primariamente hematológica ou pela suspeita de outras enfermidades que simulem doenças da área, com encaminhamento posterior à especialidade apropriada. Se confirmada doença hematológica, será o responsável pelo tratamento e acompanhamento.

Na área de atuação do Hematologista há enfermidades clínicas variadas, desde doenças “benignas” (não-oncológicas) até “malignas” (câncer), que necessitariam de tratamentos com quimioterapia e/ou imunoterapia e, em casos selecionados, também de Transplante de Medula Óssea e outras terapias.

Dr. Gustavo Quirino Scanhola

Médico Hematologista

  • Residência em Hematologia e Hemoterapia pela Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (FMUSP) – RQE: 5245
     

  • Especialização em Onco-hematologia e Transplante de Medula Óssea pelo Hospital Sírio-Libanês
     

  • Estágio Internacional em Transplante de Medula Óssea pelo Memorial Sloan Kettering Cancer Center (MSKCC), Nova Iorque, EUA
     

  • Residência em Clínica Médica pela Universidade Federal de São Paulo - Escola Paulista de Medicina (UNIFESP-EPM) – RQE: 50393
     

  • Graduação em Medicina pela Universidade Federal de São Paulo - Escola Paulista de Medicina (UNIFESP-EPM) – CRM: 133.834
     

  • Hospital Nove de Julho 
     

  • Hospital Sírio-Libanês
     

  • Hospital Alemão Oswaldo Cruz
     

  • Instituto do Câncer do Estado de São Paulo (ICESP)